Embora as causas possam ser variadas, existem situações de fracasso no recrutamento que podem resultar do facto de os recrutadores, num processo de seleção, se preocuparem, apenas, em confirmar que o candidato possui a qualificação, a experiência e as competências técnicas para desempenhar uma determinada função.

Numa típica entrevista estruturada, muitos profissionais de recrutamento cingem o seu foco seletivo, sobretudo, à forma como o candidato resolveu determinados problemas, as soluções que encontrou e os resultados conseguidos. No entanto, são frequentes as situações em que é esquecido um fator determinante para uma integração bem sucedida numa nova função: o fit cultural.

O fit cultural é a dimensão psicológica que explica as razões por que um trabalhador se sente (ou não) confortável num ambiente de trabalho, quando este está alinhado com as suas próprias crenças, atitudes, necessidades e personalidade. Nesta perspetiva, o primeiro desafio dos profissionais de recrutamento é o de identificar candidatos que, para além dos aspetos técnicos, se insiram, harmoniosamente, em termos de atitudes, crenças, propósito de vida e valores, na cultura da organização onde vão trabalhar. O segundo desafio é o de estarem seguros de que os nossos clientes têm uma cultura que garanta o sucesso do recrutamento.

Nem sempre é fácil descobrir a cultura de uma organização. Embora todas as organizações tenham uma cultura implícita, esta nem sempre é explícita, nomeadamente, em termos de missão, valores ou crenças. Outras vezes, embora o propósito da organização seja explícito, poucas são as pessoas na organização que as conhecem e praticam.

A cultura de uma organização resume as crenças subjetivas, atitudes e comportamentos partilhados que cada empregado transporta consigo para a organização onde trabalha e, muito em especial, pelos fundadores e gestores.

A cultura manifesta-se através das decisões da empresa, dos estilos de liderança, das oportunidades que oferece aos colaboradores e, ainda, da forma como a organização se expressa e se afirma nos mercados onde atua, nos símbolos que utiliza, no tipo de instalações, nas histórias e lendas do seu passado e na forma como as pessoas agem e atuam no dia-a-dia. Daí a importância de, nos contactos com clientes, os consultores serem capazes de fazer uma observação cuidada dos sinais de cultura da organização, através das suas manifestações: instalações, estilos de vestuário, sites, contactos com responsáveis, etc.

Para que um processo de seleção de um candidato se traduza numa relação duradoura e de mútua vantagem, é necessário que os especialistas de recrutamento selecionem candidatos cujos valores, crenças, aparência e comportamentos sejam compatíveis com os que existem na organização. Um processo de seleção com sucesso que fideliza clientes, implica que o recrutador assegure que o novo colaborador se adaptará, facilmente, ao meio ambiente onde trabalha. Quando o fit cultural não é levado em consideração, a probabilidade do empregado vir a procurar, instintivamente, um ambiente de trabalho onde se sinta melhor, é muito elevada.

Amândio da Fonseca

Fundador e Chairman da EGOR

in RH Online

Pesquisar por: