3 de julho de 2019

Foram ontem anunciados no Ritz Four Seasons Hotel em Lisboa, numa gala a que assistiram mais de duas centenas de convidados, os vencedores da 16ª edição do Primus Inter Pares. O prémio é uma iniciativa do Banco Santander e do Jornal Expresso que tem como objetivo distinguir os finalistas mais bem classificados das universidades portuguesas, os candidatos mais talentosos e com maior potencial de desenvolvimento profissional e pessoal.

Na sua génese, o Primus Inter Pares tem o objetivo de contribuir, anualmente, para o desenvolvimento de uma cultura de rigor, de profissionalismo e de excelência na gestão de empresas, através de concessão de oportunidades privilegiadas para a formação académica complementar, MBA a três finalistas dos cursos de mestrado na sequência de uma licenciatura em Gestão de Empresas, Economia ou Engenharia.

Ao longo das 16 edições efetuadas, a EGOR concebeu e implementou as provas de triagem e seleção de mais de 1600 candidatos num processo que envolve para além da componente psicológica, a realização de provas práticas em regime residencial envolvendo a simulação de situações que, entre outras, puseram à prova o talento dos candidatos em competências comportamentais como a inteligência emocional, a criatividade, o espírito de equipa, a liderança e o QC - quociente de curiosidade.

Num balanço dos resultados, ao longo de 16 anos, cerca de sete dezenas de candidatos premiados concluíram ou estão em vias de concluir, a frequência de MBA's em Business Schools Internacionais como o INSEAD, IE, IESE ou portuguesas como a Nova SBE, Católica, ISEG ou ISCTE.

O Primus Inter Pares insere-se numa política de apoio ao ensino superior no qual o Grupo Santander investe anualmente em todo o mundo mais de cem milhões de euros. Em Portugal, o apoio a universidades e concessão de bolsas a estudantes ultrapassa anualmente os sete milhões de euros.

O júri constituído pelos Drs. Francisco Pinto Balsemão, António Vieira Monteiro, Estela Barbot, Raquel Seabra e Professor Miguel Poiares Maduro atribuiu os prémios:

Primeiro lugar a Tomás Ambrósio, 23 anos, licenciado em Economia e com um mestrado em Finanças pela Nova SBE. O vencedor encontra-se, atualmente, a trabalhar em Madrid e em setembro regressa a Portugal para trabalhar numa consultora internacional de grande prestígio.

Em segundo lugar, ficou Daniel Proença de 25 anos licenciado em Economia pela Universidade do Porto e a terminar o mestrado em Gestão Comercial.

O terceiro lugar foi conseguido pelo Nuno Calejo, 22 anos, a terminar mestrado em Engenharia Aeroespacial no Instituto Superior Técnico. 

Os três primeiros lugares foram premiados com MBA's a frequentar em escolas de negócios à escolha entre o IESE em Barcelona, IE em Madrid, Nova SBE, Católica, ISCTE ou ISEG em Portugal.

Em quarto e quinto lugar ex-aequo foram atribuídos a Catarina Marques, com mestrado em Gestão Industrial na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e a Daniel Costa licenciado em Engenharia Física que foram premiados com a frequência de pós-graduações no ISEG ou no Porto Business School.

A EGOR agradece a confiança demonstrada ao longo de 16 anos de trabalho pelo Banco Santander e pelo Expresso como impulsionadores do prémio e a colaboração de cerca de uma centena de candidatos, que ao longo de seis meses completaram as diferentes fases desta 16ª edição a que só puderam concorrer alunos portugueses e de universidades nacionais.

 

  

 

 

Pesquisar por: